sexta-feira, 11 de junho de 2010

PLANEJAMENTO INTERDISCIPLINAR

Universidade Federal de Santa Maria

Disciplina: Educação assistida

Atividade: C

Valmir da Silva

Karin Antunes D. Pozza


PROJETO INTERDISCIPLINAR

Tema:

O Homem e o Meio Ambiente

Dados de identificação:

Escola: Escola Municipal de Ensino Fundamental Vicente Farencena

Local: Santa Maria RS

Turma: 4ª Ano do Ensino Fundamental

Período do projeto: 02 semanas

Disciplinas envolvidas: Ciências, Geografia, Educação Física e TICS.

Justificativa do projeto:

Em decorrência das novas tecnologias e do estilo de vida do homem, observa-se inúmeros problemas de ordem comportamental, relacional, e de saúde em virtude desse estilo de vida moderno. No contexto educacional e social, as discussões sobre as relações do homem moderno com o meio ambiente se repercutem dada vez mais no discurso Midiático, principalmente quando se trata de uma relação saudável e equilibrada do homem com o meio ambiente e do impacto dessa relação decorrente dos avanços tecnológicos. Nesse sentido, o trabalho interdisciplinar resgatará princípios da ciência que possibilitará o sujeito a se reconhecer físico e emocionalmente e a partir deste ponto reconhecer a sua postura na ordem natural das coisas, ou seja, a sua relação com o meio ambiente e a importância de manter um equilíbrio racional entre o ser, as coisas e o meio. E nada mais importante e significativo, que a escola resgate estes valores em sala de aula apontando os avanços tecnológicos, seus benefícios e problemas acumulados em decorrência do uso desregrado, porque o professor é conhecedor que o aluno vivencia esta realidade no seu cotidiano social e cultural. Fazer estas relações é contribuir para uma educação de qualidade, crítica e emancipadora.

Objetivos:

Desenvolver a partir da construção de conhecimentos elaborados interdisciplinar, a consciência crítica sobre a importância de se reconhecer como sujeito, manter-se físico e mentalmente saudável tendo atitudes racionais com recursos naturais preservando o meio ambiente e se utilizar dos meios de comunicação para se manter informado dos fatos.

Conteúdos:

Ciência: corpo humano

Ciência: meio ambiente;

Geografia: espacial e natureza

Educação Física: Saúde física e mental

TICs: Informação

Desenvolvimento das atividades da primeira semana:

Disciplina: Ciências corpo humano

Série: 4° série

Data: 01/03/2011

Unidade didática: Corpo humano

Assunto: Partes e sentidos do corpo humano

Número de aula: 04

Tempo: 45 minutos

OBJETIVOS:

Estudar as partes do corpo humano, os sentidos, assim como, a relação deste corpo saudável com o meio ambiente.

OBJETIVOS ESPECIFICOS:

Através de oficinas, brincadeiras, músicas e jogos realizar trabalhos didático-pedagógicos.

Mostrar para a criança através da ludicidade seu próprio corpo. Assim como, a importância que tem cada membro, cada sentido.

Refletir sobre a importância de mantermos corpo e mente saudável em sintonia com o meio ambiente.

Introdução:

A partir da proposta em articular as diferentes áreas do conhecimento através da prática educativa, sentimos a necessidade de elaborar um plano de atividades lúdicas a fim de trabalhar diretamente com a criança partes do corpo humano, seus sentidos relacionando com o meio ambiente. Pois, pesquisas demonstram que quando a escola é um ambiente altamente estimulante, no qual a criança possa explorar, imitar, olhar, escutar, expressar-se através de sua fala, e, em contato com crianças da mesma faixa etária - tendo o professor como facilitador e orientador - ela se desenvolve de forma surpreendente. A nós educadores cabe propiciar atividades diversificadas e criar ambientes educativos cada vez mais ricos e desafiadores. ”Brincar com crianças não é perder tempo, é ganhá-lo; se é triste ver meninos sem escola, mais triste ainda é vê-los sentados enfileirados em salas sem ar, com exercícios estéreis, sem valor para a formação do homem” (Carlos Drumonnd de Andrade).

Justificativas:

A brincadeira é o caminho do desenvolvimento cognitivo na infância. E é a partir da exploração do seu próprio corpo e dos amigos que iniciam as construções dos conhecimentos e habilidades principais. Em vez de impedidas de brincar, o ideal é apresentar materiais que possam incentivar a brincadeira e enriquecer cada vez mais o processo ensino-aprendizagem. Para isso, se fez necessário elaborar algumas atividades com o objetivo de esclarecer e orientar alguns valores da importância do corpo. Pois, acreditamos que a criança se desenvolve melhor dentro e fora da escola quando reflete sobre o mundo e entendem o sentido do que diz e faz. Nesta perspectiva, o educador junto à escola, assume o papel de corrigir e dar novos conceitos sobre determinados hábitos e atitudes. Para que isso aconteça, é necessário que se dê abertura em sala de aula e os conteúdos sejam ensinados ludicamente de forma que a criança reflita sobre o que está aprendendo.

Metodologia:

Esquema: Corporal e Órgãos dos Sentidos


No final do projeto os alunos deverão ser capazes de:

* Identificar as partes do corpo;

* Conhecer as partes do corpo;

* Reconhecer os sentidos;

* Refletir sobre a importância de se manter um corpo saudável;

* Relacionar o cuidado do corpo com o cuidado ao meio ambiente.

* Entender que consumir de modo racional também faz parte do cuidado do corpo e da meio ambiente.

Iniciando o planejamento

Primeiro dia de atividade

Auto-retrato:

Exploraremos as formas corporais como veículo de mobilização da fantasia e da criação. Sentaremos em círculo, então conversaremos com as crianças como foi o fim de semana e o que cada um fez, (cada criança terá um minuto). Logo em seguida aproveitando as informações lembraremos a eles que tudo isto só foi possível porque somos dotados de membros e sentidos. Vamos sugerir trabalhar durante toda a semana, partes do corpo e seus sentidos e ao mesmo tempo iremos relacionar as descobertas com o nosso dia adia em contato com o meio ambiente e os produtos que consumimos.

Desenvolvimento:

Num primeiro momento organizaremos a turma em trios e vamos sugerir a brincadeira do João Estátua. Em que um aluno fica no centro com o corpo rígido deixando-se movimentar para frente e para trás pelos dois colegas. Numa segunda brincadeira, ainda nos trios, iremos sugerir que um aluno fosse uma marionete, deixando os outros dois colegas manipularem seu corpo, adaptando-o a diferentes posições, de acordo com situações ou sentimentos que queiram expressar. Por exemplo, boca aberta, um olho fechado, mão na cabeça etc. O revezamento será sugerido dentro do grupo de três.

Numa terceira brincadeira orientaremos, com uma música clássica ao fundo, que os alunos, de olhos fechados, toquem cada parte do corpo: cabeça, cabelos, rosto, braços, mãos, pernas, pés, barriga etc. que o instrutor for sugerindo. Num quarto momento todos vendados – cuidaremos neste momento se existe alguma criança com pânico do escuro – terão que procurar em seus colegas as partes do corpo pedidas pelo coordenador, como por exemplo, Procurem o pé direito de seus colegas, etc. Neste momento terão que se arrastar pelo ambiente vendados. Num quinto momento iremos observar se está tudo bem com o nosso corpo, se ele está saudável. Num sexto momento iremos para fora da sala de aula observar a natureza – o meio ambiente- e verificar se esta tudo bem com ele, ou seja, se tem lixo jogado na rua se as árvores estão quebradas, se os animais e insetos estão sobrevivendo no meio poluído etc.

Conclusão e avaliação:

As crianças formarão duplas, uma delas deitará em uma folha de papel pardo, grande o suficiente para que o colega contorne o perfil do seu corpo. Todas com seus perfis já contornados deverão completar a figura de seu corpo acrescentando detalhes que os identifiquem. Depois escreverão no cartaz o nome das principais coisas que devem ser cuidadas no meio ambiente. (Nessa atividade disponibilizaremos um espelho grande, no qual a criança consiga se ver inteira e observe cada detalhe antes de desenhar. Concluir com a montagem de um mural com os auto-retratos do tamanho natural das crianças).

Segundo dia de atividade:


Cantando as músicas dramatizando-as

Aqui daremos continuidade ao trabalho organizando as crianças em círculo. Neste momento explicaremos que as atividades de hoje irão complementar nosso trabalho sobre o corpo humano saudável e seus sentidos relacionados com o meio ambiente. Neste trabalharemos com a música, conforme elas forem contando, irão identificando as partes do corpo e exercita-los ao som da música. Depois iremos para fora da sala identificar os diferentes sons da natureza.

Primeiramente cantaremos a música para que todos assimilem a letra.

1 - Partes do Corpo:

Cabeça, ombro, joelho e pé.

Cabeça, ombro, joelho e pé.

Olhos, ouvidos, boca e nariz.

Cabeça, ombro, joelho e pé.

Pediremos que elas primeiramente mostrem as partes do corpo em si mesmas. Depois nos amigos. Depois em frente do espelho. Depois todos circulando pela sala identificando em quem encontrar pela sala.

2 – POP POP:

Coloque a mão para cima,

Coloque a mão para o lado,

Coloque a mão para frente,

Coloque a mão pra baixo,

Balança ela agora

Eu danço pop pop

Eu danço pop pop

Eu danço pop pop

Assim é bem melhor!

Repetimos com todas as partes do corpo possíveis. (cantando)

3 - Remexo:

Ponha a mão na cabeça,

Ponha a mão na cintura,

Dá um abraço no corpoooo...

Ai que gostosura!

Cantaremos a música dramatizando-a, as crianças ficaram de frente uma para outra na hora do abraço no corpo, elas se abraçaram.

Fora da sala, as crianças terão que identificar os sons e depois o que produziu estes sons. Identificando os desagradáveis e os bons.

Conclusão e avaliação:

Dividiremos a turma em trio cada grupo produzar um cartaz com uma temática. Partes do corpo, exercícios físicos, corpo doente, corpo saudável, natureza doente, natureza saudável, som ruim, som gostoso. Depois cada trio irá falar sobre o tema que desenhou.

Terceiro dia de atividade:

Se meu corpo falasse:

Faremos um círculo e daremos continuidade aos nossos trabalhos. Leremos de maneira lúdica e agradável um livro da coleção CORPIM de Ziraldo. Comentaremos com as crianças o tema principal do livro: As partes do corpo, seus sentimentos, pensamentos, ações, ideais e planos futuros. Vamos sugerir as crianças que imaginem a voz de cada parte do corpo respondendo perguntas como: Se o nariz falasse, o que ele diria? E o dente cariado? E os seus pés depois de você andar muito? E a barriga quando você come demais?

Se o seu corpo falasse o que ele diria se você entrasse em águas poluídas?

Após esta etapa, quando o grupo estiver bastante incentivado pediremos que as crianças façam perguntas para as partes do corpo dos amigos. Deixaremos que elas expressem suas idéias e pensamentos e elaborem suas frases, intervindo o menos possível, mas, estimulando sempre. Mostrando interesse na brincadeira. Em um segundo momento no papel de professores dinamizadores, vamos sugerir que a turma se divida em grupos e montem quebra-cabeças das partes do corpo e do meio ambiente.

Conclusão e avaliação:

As crianças em duplas irão desenhar e escrever uma carta a sua família pedindo pra que a mesma cuide mais de seus corpos e do meio ambiente, para ser colocada no mural da escola.

Quarto dia de atividade:

Os sentidos:

Já tendo explorado bastante as partes do corpo, observado no espelho, dançando, tocando-o, relaxando... Passamos para a segunda fase do projeto: Explorar os sentidos.

Visão: Mostraremos figuras coloridas pequenas, médias e grandes; figuras pretas e brancas pequenas, médias e grandes; mostremos de longe, de perto, de muito perto – sempre perguntando o que estão vendo e como. Provocaremos as crianças para que percebam a importância da visão. E repetiremos a pergunta: Para que servem nossos olhos?

Audição: Brincaremos de identificar sons de instrumentos, da natureza, vozes, barulhos em geral, falar bem baixinho, falar alto, vamos sugeri que todos sussurrem, gritem e fiquem em silêncio. Enfim, através de diversas brincadeiras provocaremos para que percebam a importância dos ouvidos e da audição. Repetiremos a pergunta: Para que servem nossos ouvidos?

Olfato: Brincaremos de distinguir diferentes cheiros de olhos vendados. Dizer cheiros que agradam e os que desagradam, provocando-os até que percebam a importância de nosso nariz, de nosso olfato. Repetiremos a pergunta: Para que serve nosso nariz?

Paladar: Brincaremos de provar diferentes tipos de alimentos de olhos vendados – provocando-os até que percebam a importância da língua, de nosso paladar. Repetiremos a pergunta: Para que serve nosso língua?

Tato: Brincaremos de sentir diferentes texturas: algodão, lixa, esponja, água fria, água morna, gelo etc., provocando-os até que percebam a importância do tato, de sentir o toque. Criaremos uma caixa fechada com um buraco apenas para caber a mão da criança, e dentro dela colocaremos diferentes materiais onde poderão tocar e dizer o que sentiam se era macio ou áspero. Outra brincadeira legal será a de gata cega, de olhos fechados, descobrindo em que parte do seu corpo o colega está tocando.

Conclusão e avaliação:

Neste momento conversaremos de forma informal sobre cada uma destas partes do corpo: boca, nariz, orelhas, mãos e olhos. Provocaremos as crianças com pergunta: para que serve? Em que parte do corpo ela se localiza? E depois questionaremos se é possível manter estes sentidos saudáveis, sem exercícios físicos, alimentação exagerada, e maltratando o meio ambiente?

Materiais:

  • Bolas de tênis – Barbante- Cola – Tesoura – Giz - Papel pardo - Latas
  • Madeira - Fitas coloridas –Tecidos – Água – Frutas – Caixa – Lixa - Músicas

Bibliografia:

DANIEL, Marie France. A Filosofia e as Crianças, Ed Nova Alexandria. São Paulo. 1993.

AQUINO, Tomas de. Sobre o Ensino (de Magistro) /os Sete Pecados Capitais, Ed. Martins Fontes. São Paulo. 1997.

COSTA, José Silveira da. Tomas de Aquino-A Razão a Serviço da Fé, Ed. Moderna. São Paulo. 1985.

LE BOULCH, J. Educação Psicomotora, A Psicocinética na idade escolar. Porto Alegre: ed. Artes Médicas, 1987.

FERREIRO, Emilia. Reflexões Sobre Alfabetização, Ed. Cortez. São Paulo. 1993.

Quinto dia de atividade:

Disciplina: Educação Física

Série: 4° série

Data: 05/03/2011

Unidade didática: Atividade física

Assunto: Noção de espaço e saúde física

Número de aula: 01

Tempo: 45 minutos

Objetivo:

Proporcionar as crianças noções de espaço geográfico temporal, lateralidade, coordenação motora e saúde física e mental.

Justificativa:

A partir de observações em algumas instituições e das leituras em sala de aula, sobre motricidade, achamos necessário elaborar um plano de aula com atividades para exemplificar o sentido próprio desta disciplina de Educação Física para as crianças. Iremos realizar uma atividade na qual colocaremos as crianças em contato direto com seus movimentos corporais. Esta atividade, chamaremos de circuito de movimentos. Pois, ele tem uma grande diversidade de ritmos e movimentos, possibilitando assim, a realização de um excelente trabalho de noções espaciais, geográfico, temporal, lateralidade e coordenação motora. Partindo do pré-suposto, que as crianças se desenvolvem melhor, dentro e fora do espaço educativo quando refletem e entende o sentido do que dizem e fazem.

Desenvolvimento:

Reuniremos todas as crianças no pavilhão esportivo da escola, convidaremos as para realizar uma brincadeira chamada de animal animalzinho animalão. Na qual cada criança imitará um ou mais animal. Dentro de um circuito que desenharemos no chão do ginásio. Primeiramente faremos uma brincadeira de aquecimento, onde todos terão que permanecer dentro de um espaço determinado, no qual, uma das crianças representará o animal da montanha enfeitiçada. As crianças terão que fugir dele, pois, se forem tocadas pelo animal da montanha enfeitiçada, Transformam-se em estátuas. E para a estatua se libertar, precisará de um abraço dado por um dos colegas. Depois desenharei um circuito no chão, este será composto de seis etapas, formando um retângulo. Ex:

As crianças iram imitar: sapo, cachorro, canguru, caranguejo, aranha, etc. Após o circuito, desenharemos um rio no chão, uma das crianças representará um caranguejo, e as outras crianças representarão os demais. A brincadeira consiste no desafio de cada animal atravessar o rio sem ser picado pelo caranguejo, aquele que for, fica no rio fazendo a vez do caranguejo. No final faremos uma atividade de relaxamento, utilizaremos a música, Sonata ao Luar de Beethoven. Nesta atividade pediremos que sentem-se em forma de borboleta, alonguem os braços, respirem profundamente e aspirem, flexionem o pescoço para frente, para traz, para a direita para a esquerda. Após isso, agradeceremos a todos desejando um bom dia.

Material:

Curto circuito

Avaliação conclusa:

Conversaremos informalmente com as crianças sobre o que acharam das atividades. E depois colocaremos que este tipo de trabalho é importante juntamente com uma alimentação saudável se quisermos manter o corpo e mente saudável.

Avaliação:

Para avaliar as atividades desenvolvidas, pediremos para cada criança que produza livremente um texto sobre o tema que foi visto e trabalhado durante as atividades dos dias. Observando os seguintes fatores: o que ela viu de importante? O que mais gostou? O que aprendeu com os conteúdos? A partir das afirmativas das crianças, iremos analisar nossas metodologias desenvolvidas e aplicadas, assim como, a relevância do tema abordado no local e contexto da escola.

Bibliografia:

LE BOULCH, J. Educação Psicomotora, A Psicocinética na idade escolar. Porto Alegre: ed. Artes Médicas, 1987.

Desenvolvimento das atividades da segunda semana:

Disciplina: Ciências meio ambiente

Série: 4° série

Data: 08/03/2011

Unidade didática: meio ambiente

Assunto: Partes lixo

Número de aula: 02

Tempo: 45 minutos

Objetivos:

Estudar e conhecer os tipos de lixo produzidos no ambiente domestico através do sonsumo de produtos.

Objetivos específicos:

1 - Através de oficinas e brincadeiras realizar trabalhos didático-pedagógicos para conscientizar as crianças da relevância em separar e armazenar o lixo corretamente.

2 - Mostrar para a criança através da ludicidade seu compromisso e responsabilidade com o lixo no seu ambiente.

Introdução:

Considerando o forte apelo via mídia do cuidado que devemos ter com o meio ambiente, resolvemos abordar o tema lixo, por estar em evidencia e ao alcance de informação das crianças. Nas ultimas décadas o ser humano vem produzindo cada vez mais lixo, este cada vez mais agressivo ao meio ambiente, neste sentido, reeducar o sujeito para que a partir de seu próprio ambiente comece fazer sua parte no cuidado com o seu lixo.

Justificativas:

A brincadeira com enfoque de aprendizado e conscientização pode ser o caminho para o desenvolvimento do sujeito responsável e consciente. E, é a partir da exploração do próprio ambiente da criança que se inicia a construção do conhecimento e das habilidades de cidadão virtuoso. Para isso, se fez necessário elaborar atividades com o objetivo de esclarecer e orientar sobre a importância do cuidado com o lixo que produzimos.

Desenvolvimento:

Primeiro dia de atividade:

Em um primeiro momento informaremos que antes de começarmos nossas atividades iremos fazer um piquenique, distribuiremos lanches para todas as crianças: bombons, frutas, iogurtes etc. Após elas terem lanchado, questionaremos o que foi produzido com as cascas das frutas, as embalagens dos bombons e dos iogurtes. Assim, desenvolveremos o assunto da aula – lixo. Solicitaremos que a turma recolha tudo que considerarem lixo e coloquem no centro da sala de aula, inclusive os que acabaram de produzir. Em seguida questionaremos sobre os aspectos do lixo jogado no chão, os diferentes tipos de lixo que produzimos seus danos ao meio ambiente, e os cuidados que temos em armazená-los corretamente.

Construiremos lixeiras para cada tipo de lixo e em seguida as crianças serão orientadas a separarem o lixo. Após a separação e reciclagem vamos fazer uma leitura de um texto sobre lixo e em seguida separaremos a turma em grupos para discutirem: Que tipo de lixo se produz em casa? Como ele é separado? Para onde vai? O que acontece quando jogado no meio ambiente?

Texto:

A CASA DE RUBEM ALVES

Canela é uma cidade no Rio Grande do Sul, a dez quilômetros de Gramado. Lá estava eu caminhando, assombrado com a natureza. Florestas, árvores seculares, araucárias, hortênsias que cobrem todas as encostas, infelizmente haviam sido queimadas pela geada. Riachos cristalinos. Altíssimas cachoeiras. Lugar onde se deve calar para escutar o silêncio do vento. Mas o que mais me comoveu foram umas crianças. Diante da catedral magnífica, de longe eu as vi agachadas, movendo-se agachadas, no jardim à frente da igreja. Tinham luvas brancas nas mãos. Aproximei-me e perguntei o que estavam fazendo. “Catando lixo”, me responderam em meio a risadas. “O que a gente mais encontra são tocos de cigarros...” E me mostraram sacos de plástico cheios do lixo que haviam recolhido no jardim. Os adultos sujando, as crianças limpando. Enchi-me de alegria. Estou certo de que “catar lixo” não é um dos itens dos programas oficiais das escolas. Ninguém é aprovado ou reprovado por catar ou não catar lixo. Faziam porque queriam. Queriam os gramados verdes, sem os tocos de cigarro brancos, testemunhos da grosseria e falta de educação dos adultos. Aí veio a professora. Abraçamos, rimos, conversamos e tiramos fotografias. Eram alunos da 5ª. Série do Colégio Marista Maria Imaculada. Prometi às crianças que elas apareceriam no Correio Popular. Pois aí estão elas, sorridentes.

Conclusão e avaliação:

As crianças terão de fazer uma lista dos principais lixos que é produzido na sua casa. E depois descrever como este lixo é colocado fora. E responder se ela sabe para onde elevai?

Segundo dia de atividades:

A partir das imagens que disponibilizaremos em vídeos sobre a poluição do meio ambiente e dos principais produtos que o homem contamina natureza. Vamos solicita as crianças que pesquisem em casa a partir do noticiário na televisão, rádio, jornal, revistas, internet etc. sobre poluição ao meio ambiente e os perigos desta poluição para o nosso corpo.

Conclusão e avaliação:

Dividiremos a turma em quatro grupos, cada grupo receberá material para confecção de um painel utilizando recortes de revistas, jornal e demais figuras. Este painel deverá transmitir uma mensagem tendo como tema principal o lixo. Após terem concluído o painel cada grupo apresentará aos demais colegas a sua mensagem.

Avaliação:

Para avaliar as atividades desenvolvidas, pediremos para cada criança que produza livremente um texto sobre o tema que foi visto e trabalhado durante as atividades dos dias. Observando os seguintes fatores: o que ela viu de importante? O que mais gostou? O que aprendeu com os conteúdos? A partir das afirmativas das crianças, iremos analisar nossas metodologias desenvolvidas e aplicadas, assim como, a relevância do tema abordado no local e contexto da escola.

Materiais:

Revistas, Jornais, Tesoura, Cola Papel Pardo, Pincel Tinta tempera Sacolas plásticas Caixas de papelão.

Bibliografia:

TEXTOS, acessados em 08/06/201. Endereço:

http://www.rubemalves.com.br/quartodebadulaquesLII.htm

INFORMAÇÕES sobre lixo, acessado em 06/06/2007.Endereço:

http://www.comciencia.br/reportagens/cidades/cid10.htm

Terceiro dia de atividade:

Disciplina: Ciências

Série: 4° série

Data: 10/06/2011

Unidade didática: água

Assunto: informações sobre a água

Número de aula: 02

Tempo: 45 minutos

Objetivos:

Estudar os tipos de água, sua função na natureza e no corpo humano, assim como o cuidado para evitar o seu disperdício.

Objetivos específicos:

1- Através de oficinas e brincadeiras, realizar trabalhos didático-pedagógicos para estimular e conscientizar as crianças do cuidado com a água.

2 - Mostrar para as crianças através de imagens e filmes a ação da água no meio ambiente e no corpo humano.

3 – Fazer relações do corpo humano com a natureza se ficarem sem água.

Introdução:

A partir da proposta em oferecer as crianças o máximo de informações sobre a água - como prática educativa - sentimos a necessidade de elaborar um plano de atividades a fim de trabalharmos diretamente com elas o assunto em questão, partindo das seguintes indagações: O que é água? Qual a importância dela em nosso corpo e na natureza? Onde podemos buscar informações sobre este e outros temas que são importantes para mantermos o nosso corpo saudável? Nesse sentido, a sala de aula poderá se tornar um ambiente altamente estimulante, no qual as crianças poderão explorar, experimentar, olhar, escutar, expressar-se através de sua fala, e, em contato com os objetos de estudo - tendo o professor como facilitador e orientador - a criança poderá se desenvolve de forma significativa.

Justificativas:

A pesquisa é uma atividade muito importante na vida da criança, uma vez que tal atividade oportuniza uma aprendizagem que diz respeito à possibilidade da criança desenvolver um processo contínuo e cada vez mais completo no domínio do conhecimento científico, seja no exercício do seu próprio conhecimento ou por meio de contato com objetos presentes na natureza. O estudo, a análise e a apreciação dos elementos que compõem a natureza podem contribuir tanto para o processo pessoal do conhecimento como também para o conhecimento progressivo e significativo da função que a ciência desempenha na vida do sujeito. Neste sentido este trabalho visa estabelecer um processo investigativo e potencializador no desenvolvimento do conhecimento das crianças.

Desenvolvimento:

Na aula anterior pediremos para cada criança trazer uma garrafa com água. No dia em questão recolheremos todos os recipientes, cada uma das crianças entregará sua garrafa dizendo de onde retirou a água. Em seguida faremos um círculo e questionaremos sobre o que elas sabem sobre água, que tipo de água existe e qual sua importância para os animais? Às plantas? E o homem? A pós o seminário, realizaremos experimentos misturando água doce com sal para diferenciarmos os tipos de água existentes, cortaremos caules de plantas e extrairemos a água de seu interior, colocaremos água em terra para observarmos os resultados, observaremos plantas em diferentes estágios: bem hidratadas, semi-hidratadas e desidratadas.

Avaliação e conclusão:

Para concluir pediremos que as crianças que recortem das revistas tudo aquilo que elas julguem depender da água para viver, e logo em seguida faze uma colagem num painel para ser exposto em sala de aula.

Quarto dia de atividades:

Reuniremos a turma para assistir o noticiário que traremos gravados em vídeo sobre o assunto em questão, a água. Depois apresentaremos alguns vídeos de curta duração sobre projetos bem sucedido no cuidado com a água e de pessoas que mantém hábitos saudáveis tomando diariamente água potável. Traremos também reportagem em jornais e revistas para elas poderem comparar e manusear. Logo depois levaremos a turma para o laboratório de informática para que elas procurem na internet informações sobre o assunto em questão.

Conclusão e avaliação:

Organizaremos a turma em duplas para que elas realizem uma pesquisa em revistas e identifique as principais tecnologias de comunicação e informação, tais como internet, tv, raio, jornal, revista, etc. podem ajudar na preservação do meios ambiente e na preservação de um corpo saudável?

Avaliação:

Para avaliar as atividades desenvolvidas, pediremos para cada criança que produza livremente um texto sobre o tema que foi visto e trabalhado durante as atividades dos dias. Observando os seguintes fatores: o que ela viu de importante? O que mais gostou? O que aprendeu com os conteúdos? A partir das afirmativas das crianças, iremos analisar nossas metodologias desenvolvidas e aplicadas, assim como, a relevância do tema abordado no local e contexto da escola.

Materiais:

Vídeos – Jornais – Revistas – Tesoura – Cola - Papel pardo - Recipientes – Plantas.

Bibliografia:

INFORMAÇÔES, água. Acessado em 06/06/2007. Endereço: http://pt.wikipedia.org

Quinto dia de atividades:


Disciplina: Geografia

Série: 4° série

Data: 12/03/2011

Unidade didática: meio espacial e natureza

Assunto: geoespacial

Número de aula: 01

Tempo: 45 minutos

Objetivo:

Organizar uma pesquisa de campo para identificar as diferentes espécies de vida que compõe o eco sistema, a relação de harmonia que devemos manter com a natureza, assim como, a importância de nos mantermos saudáveis para aproveitar com racionalidade tudo que a natureza nos proporciona.

Objetivos específicos:

Relacionar todos os animais, plantas insetos, e demais organismos encontrados;

Analisar as ações humanas no meio ambiente e suas conseqüências;

Observar os diferentes movimentos e sons da natureza fazendo uma relação com nossos sentidos;

Justificativa:

A partir do questionamento sobre o que é a natureza feita por uma das crianças em sala de aula, achamos necessário elaborar um plano de pesquisa de campo para exemplificar o sentido próprio de natureza. Para isso iremos realizar uma atividade na qual proporcionaremos as crianças um contato direto com a natureza, levando-as ao jardim botânico da universidade. Este ambiente tem uma diversidade de plantas, árvores, insetos, animais e logos, possibilitando assim, a realização de um excelente trabalho de campo. Neste sentido, iremos mostrar, exemplificar, analisar e classificar as diversas espécies de seres vivos que em um todo formam a natureza. Partindo do pré-suposto que, as crianças se desenvolvem melhor dentro e fora do espaço educativo quando refletem sobre o mundo e entendem o sentido do que dizem e fazem. Para justificar esse pensamento e a metodologia do trabalho proposto, fizemos referências ao filósofo Tomas de Aquino, que seguindo o princípio aristotélico defendeu que cabe à razão ordenar e classificar o mundo para assim melhor entendê-lo. Defendeu também, que existe dois tipos de conhecimentos: o sensível, captado pelos sentimentos e o intelectivo, que se alcança pela razão. Pelo primeiro tipo só se pode conhecer a realidade com a qual se tem contato direto. Pelo segundo, pode-se abstrair agrupar, fazer relações e, finalmente alcançar a essência das coisas. Neste sentido o trabalho de campo poderá contribuir na formação das crianças quanto aos seus próprios valores.

Desenvolvimento:

Primeiramente, entraremos em contato com o responsável e conheceremos pessoalmente o local, agendaremos uma data e horário, a partir desta, combinaremos com as crianças como iríamos e o que levaríamos. Por exemplo, todos devem trazer de casa a autorização assinada pelo responsável, estarem vestidos confortavelmente, pois, faremos uma caminhada até o local, pelo fato da escola ficar fora do campus da universidade. Levaremos mapas para identificar algumas regiões do país que vivem determinadas espécies de planta encontradas no jardim botânico, espátulas para cavar o chão em busca de algumas espécies de animais ou insetos e sacos plásticos para coletas. No dia e horário combinado, nos encontraremos na escola. Ao chegarmos no jardim botânico, esclarecerei algumas regras para o bom andamento do trabalho, assim como as que aprendemos em nossos estudos, condutas de respeito a natureza, pois, natureza é todo ser vivo que compõe o universo, e, iremos identificar parte deles. Começaremos pela estufa onde o encarregado pelo jardim botânico nos mostrará o orquidário, as ervas medicinais e temperos ali cultivados. Identificaremos o cheiro à textura e o paladar das ervas, assim como, sua relação com a natureza e o homem. Depois a nossa direita o pomar, com diversos tipos de árvores frutíferas, identificaremos e observaremos as diferentes espécies de animais e insetos que se alimentam e se relacionam com o pomar. Ao mesmo tempo identificaremos as estações do ano que cada espécie de árvore frutífera dá frutos. Logo a nossa frente, iremos ver muitas espécies de arvores nativas, observaremos as diferentes formas de folhas, galhos e tronco, analisaremos por que algumas árvores perdem as folhas em determinados período do ano e outras não. Observaremos os pássaros que fazem seus ninhos em cima das árvores, assim, como os insetos que vivem debaixo das folhas secas sobre o chão. Cavaremos a terra para analisar algumas espécies que vivem debaixo do solo. A nossa esquerda veremos uma plantação de kactus planta típica de lugares secos, observaremos que eles estão plantados entre pedras e areia, podendo sobreviver por muito tempo sem água, pois, tem m sistema de reserva no seu interior. E que o kactus é uma planta típica do nordeste, região que podemos identificar no mapa regional. No final do passeio, reuniremos as crianças a sombra de uma árvore, sentaremos em círculo serviremos um refresco e conversaremos sobre o passeio. O que viram? O que descobriram? E o que eles entendem agora por natureza?

Conclusão e avaliação:

Com o material coletado, na próxima semana iremos fazer um seminário para analisar os diferentes aspectos do meio ambiente, a relação do homem com este meio e como nos mantermos informado sobre o que está acontecendo no mundo sobre os cuidados com a saúde do corpo e com a preservação da natureza?

Avaliação:

Para avaliar as atividades desenvolvidas, pediremos para cada criança que produza livremente um texto sobre o tema que foi visto e trabalhado durante as atividades dos dias. Observando os seguintes fatores: o que ela viu de importante? O que mais gostou? O que aprendeu com os conteúdos? A partir das afirmativas das crianças, iremos analisar nossas metodologias desenvolvidas e aplicadas, assim como, a relevância do tema abordado no local e contexto da escola.

Para desenvolver este projeto, consideramos em um primeiro momento que as observações feita pela criança referente à natureza a saúde do corpo, os cuidado coma alimentação, as tecnologias da comunicação e da informação, etc por exemplo, podem refletir as idéias adquirias no ambiente familiar de onde elas trazem valores que julgam serem corretas sem saber o porque. Mas com o passar do tempo às crianças poderão avançar para questões mais subjetivas e críticas criando opinião própria. Para levar as crianças a avançar no raciocínio, as maiores armas do professore é a pergunta e a imparcialidade como mediador das discussões. Partindo do princípio filosófico de Aquino “O conhecimento é construído pela criança e não simplesmente transmitido pelo professor”.

Materiais:

Sacos para coletas

Espátulas - Canetas

Bloco para anotações

Lanche – Suco - Saco de lixo

Bibliografia:

FILOSOFIA NA ESCOLA PÚBLICA, Álvaro Ribeiro, Walter Cohan e Bernardina Leal (orgs.), Ed vozes.

A FILOSOFIA E AS CRIANÇAS, Marie France Daniel, Ed Nova Alexandria.

SOBRE O ENSINO (DE MAGISTRO)/OS SETE PECADOS CAPITAIS, Tomas de Aquino, Ed. Martins Fontes.

TOMAS DE AQUINO-A RAZÃO A SERVIÇO DA FÉ, José Silveira da Costa, Ed. Moderna.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário